OS IMPACTOS DO DIABETES NA PELE


Os impactos do diabetes na pele

23 de fevereiro de 2021

Carta aberta às pessoas com diabetes:

É preciso estar atento aos sinais, principalmente, aos da sua pele. A dificuldade de cicatrização e o ressecamento na pele são as principais características visíveis de quem sofre com diabetes.

Mas o segredo para enfrentar o diabetes com garra, está em compreendê-lo e tratá-lo. E assim deve ser ao longo do seu tratamento. Sabemos que agora a sua sede é de conhecimento, mas pode pegar um cafezinho (com adoçante, viu?), porque a equipe CEDRAFLON™ separou algumas dicas das boas:

 

O QUE É O DIABETES MELLITUS?1,2

Precisamos começar do começo!

O diabetes, resumidamente, é uma doença ligada ao pâncreas! O pâncreas produz hormônios fundamentais para o sistema digestivo. O seu processo diário faz com que células alinhadas como beta produzam insulina quando o nível de glicose sobe.

A insulina cumpre um papel fundamental na saúde da pele. Sua ausência ou baixa quantidade no corpo faz com que os níveis de glicose nas células sejam menores e, na corrente sanguínea, maiores. Com tal deficiência, o nível de imunidade acaba diminuindo, fazendo assim com que a pele seja drasticamente afetada e resseque, escureça e desenvolva algumas anormalidades, tais como: lesões, infecções e úlceras. Pode-se perceber este sintoma em, aproximadamente, 40% dos casos de diabetes.

 

COMO RECONHECER O DIABETES PELA PELE?3,4

São muitos os sintomas e exames que ajudam a identificar o diabetes. Mas um grande sinal pode estar muito evidente no maior órgão do seu corpo: a pele! Do ver ao sentir. O ressecamento e a dificuldade de cicatrização são características MUITO marcantes de pessoas com diabetes.

Lesões na pele são comuns, mas quando se trata da pele de uma pessoa com diabetes, torna-se muito preocupante. Afinal, pode-se perceber certa dificuldade e demora na cicatrização.

Esteja sempre atento aos sinais de descamação, rachaduras e, até mesmo, texturas ásperas. Geralmente os pés são os mais afetados por este sintoma visível de diabetes.

 

Além do ressecamento, quem sofre com diabetes:

– Fica mais vulnerável a infecções. Sendo assim, muito comum encontrar micose e frieiras oriundas de bactérias e fungos;

– Perde a sensibilidade cutânea;

– Costuma lidar com coceiras generalizas;

– Tem sensações de que a pele está sendo espetada.

 

#BeteInforma: quando não tratadas, as infecções (que em sua maioria são resistentes a antibióticos) podem evoluir chegando até, em casos extremos, a amputação. Por isso, é tão importante cuidar da pele.

 

COMO CUIDAR DA PELE RESSECADA?3,4

Mas, em sua maioria, quando não é preciso injetar insulina, é possível tratar o diabetes estabelecendo uma rotina saudável, incluindo a prática de atividades físicas e cuidando MUITO da pele!

 

– Se atente ao controle glicêmico;

– Invista em uma boa alimentação, sem o consumo exagerado de carnes vermelhas, frituras, enlatados, embutidos e conservantes;

– Beba água;

– Tenha uma boa higiene;

– Pratique atividade física;

– Hidrate a sua pele com cremes;

 

Estes tópicos, além de contribuírem para o funcionamento do corpo e para o físico, contribuem para a saúde e revitalização da pele. Porque assim é possível absorver nutrientes necessários para reabastecer a pele e diminuir o impacto das agressões ambientais.

Várias técnicas podem ser utilizadas. Mas existe uma que é fácil, barata e que pode ser feita em casa: a hidratação.

Vale lembrar que na hora do diagnóstico, um tratamento é passado de acordo com a situação de cada paciente.

 

O CUIDADO DA PELE3-5:

A dificuldade na cicatrização de feridas faz com que a pele da pessoa com diabetes seja muito seca e, consequentemente, difícil de cicatrizar.

Justamente para evitar esta fragilidade que traz consigo dores e sensação de peso, é preciso utilizar cremes hidratantes! O CEDRAFLON™, por exemplo, promove triplo benefício diário: hidratação com toque seco e rápida absorção, sem deixar os pés úmidos, alívio da sensação de peso e cansaço nas pernas e refrescância com uma fragrância Francesa delicada.5

E agora que você já sabe a importância de cuidar da pele e prestar atenção, principalmente nos pés, separamos um vídeo da Enfermeira Especialista em Pé Diabético, Enfermeira Maria Lucoveis, que em um post antigo aqui no blog trouxe um conteúdo aprofundado sobre a importância do autocuidado que uma pessoa com diabetes precisa ter com os pés.

 

Este post te ajudou a identificar algum sintoma? Então, recomendamos que você faça um exame e procure um dermatologista ou endócrino para iniciar o tratamento e começar a cuidar da sua pele.

 

Agora conta pra gente: como você costuma cuidar da sua pele?

 

“Esse conteúdo não significa uma recomendação terapêutica. Consulte seu Médico regularmente”.

Referências:

Pele muito seca pode ser um sintoma do diabetes? – Site Cuidado Pela Vida – https://cuidadospelavida.com.br/saude-e-tratamento/diabetes/pele-muito-seca-sintoma-diabetes#:~:text=Um%20dos%20sintomas%20do%20diabetes,essencial%20na%20sa%C3%BAde%20da%20pele.
O que é diabetes? Sociedade Brasileira de endocrinologia e metabologia – https://www.endocrino.org.br/o-que-e-diabetes/#:~:text=Diabetes%20Mellitus%20%C3%A9%20uma%20doen%C3%A7a,p%C3%A2ncreas%2C%20pelas%20chamadas%20c%C3%A9lulas%20beta%20.
Cuidados de Enfermagem em Diabetes Mellitus | Departamento de Enfermagem da Sociedade Brasileira de Diabetes: http://files.smscampestre.webnode.com/200002549-33ba234b45/manual_DIABETESenfermagem.pdf
Manual do Pé diabético – Ministério da Saúde –  http://www.as.saude.ms.gov.br/wp-content/uploads/2016/06/manual_do_pe_diabetico.pdf 

Últimas Publicações

SOS PERNAS: Motivos para usar Cedraflon

Cuidados com as pernas